Modalidades que existem no hipismo

Prova de hipismo

O hipismo é um desporto exclusivo que conta com várias modalidades, sendo que algumas delas são olímpicas. Conheça quais são as diferentes modalidades existentes no hipismo e descubra qual a mais apropriada para si.

O que é o hipismo

O hipismo é a arte de montar a cavalo e compreende todas as práticas desportivas que estão relacionadas com este animal de alto porte. Como desporto, o hipismo existe desde os Jogos Olímpicos da Antiguidade, em Atenas, na Grécia, e as corridas equestres e de quadrigas eram as duas competições mais populares da época. Porém, as regras e as competições do hipismo só surgiram em 1883, nos Estados Unidos da América (EUA), com a abertura de cursos para civis, pois, até então, esta atividade era praticada apenas por militares. Daí em diante, o desporto cresceu e depressa chegou aos Jogos Olímpicos Modernos, no ano de 1900, em Paris, França, mantendo-se atual até aos dias de hoje.

As modalidades olímpicas do hipismo

De acordo com a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) e a Federação Equestre Internacional (FEI), o hipismo apresenta 3 modalidades olímpicas distintas. São elas:

Dressage ou Adestramento

Nas provas de dressage ou adestramento, todos os conjuntos (cavalo e cavaleiro) deverão realizar uma série de movimentos específicos, conhecidos como “figuras”, de diferentes graus de dificuldade. As disputas são compostas por três etapas principais. Nas duas primeiras, os conjuntos realizam movimentos obrigatórios como trotes, galopes e piruetas. Na terceira, é realizada uma coreografia livre acompanhada de música. O objetivo principal desta modalidade passa por fazer movimentos com a máxima perfeição para que, posteriormente, os júris avaliem, numa escala de 0 a 10, a disciplina, a elegância, a prontidão e a sintonia de cada conjunto.

Salto

O salto é a modalidade mais conhecida do hipismo. A sua prova consiste na realização de um percurso de obstáculos, cerca de 15 a 20, numa pista que mede entre 700 e 900 metros. A altura dos obstáculos varia entre os 0,40 e 1,65 metros, dependendo da categoria dos cavaleiros. As provas têm, em média, a duração de 1 minuto e 30 segundos e o vencedor é o cavaleiro que completar o percurso mais rapidamente e com o menor número de faltas. As principais faltas são:

  • Derrubar um obstáculo
  • Desviar-se de um obstáculo
  • Recuar antes de dar um salto
  • Ultrapassar o tempo
  • Enganar-se no percurso
  • Cair do cavalo

O atual recorde de salto no hipismo pertence ao capitão Alberto Larraguibel Morales e ao cavalo Huaso que, no ano de 1949, saltaram a altura de 2,47 metros, em Viña del Mar, no Chile.

Concurso Completo de Equitação (CCE)

O Concurso Completo de Equitação (CCE) é uma combinação de modalidades de dressage ou adestramento, saltos e provas de fundo. Esta última é uma etapa que pode ser subdividida em percursos e caminhos, corrida de obstáculos (steeplechase) e cross-country com obstáculos naturais. O CCE é uma modalidade completa que é disputada em campos e as competições duram três dias seguidos. O conjunto que mostrar mais habilidades e somar menos pontos negativos no final das três fases é o vencedor da competição.

O hipismo nos Jogos Paraolímpicos

Nos Jogos Paraolímpicos, o hipismo é apenas representado pela modalidade de dressage ou adestramento. Esta prova reúne homens e mulheres na mesma competição e divide-os em quatro categorias distintas de acordo com o grau de paralisia ou deficiência visual que apresentem. Nesta competição, a pista da prova é modificada para oferecer uma maior segurança a todos os conjuntos.

Outras modalidades do hipismo

Além das disciplinas olímpicas, o hipismo tem outras modalidades que poderão ser praticadas como, por exemplo:

O enduro equestre

O enduro equestre é uma prova de longa distância, entre 80 e 160 quilómetros, que é disputada em etapas, também conhecidas como “anéis”. Nesta prova, a condição física do animal é muito importante e, como tal, o cavaleiro deve ter muitos cuidados com o cavalo, principalmente com os seus cascos. No final de cada etapa (entre 15 a 40 quilómetros) existem locais de paragem específicos para que os cavalos e os cavaleiros recuperem fisicamente. O conjunto vencedor é aquele que cruzar a linha da meta com o melhor tempo possível.

O volteio

O volteio é uma prova que consiste na execução de movimentos (livres e obrigatórios) da Ginástica Artística em cima de um cavalo em movimento. Alguns dos movimentos mais conhecidos são: levantar os braços e as pernas, ajoelhar-se em cima do cavalo, colocar-se em pé no cavalo, entre outros. Existem competições individuais, em duplas e em equipas e a pontuação é atribuída conforme e técnica, grau de dificuldade, equilíbrio, segurança e integração do volteador com o animal.

A atrelagem ou driving

A prova de atrelagem ou de driving é uma competição que utiliza uma espécie de charrete que é puxada por um, dois ou quatro cavalos. Esta modalidade engloba as competições de adestramento, maratona e corridas de obstáculos. Na prova de adestramento, é necessário realizar movimentos livres e obrigatórios numa pista de 100 x 400 metros; na maratona, os cavaleiros percorrem um percurso de 22 quilómetros com obstáculos naturais e artificiais; na corrida de obstáculos, é preciso realizar um contra-relógio e desviar-se dos cones que estão espalhados ao longo do caminho. O vencedor é o conjunto que tiver uma maior pontuação no conjunto das três etapas.

As rédeas

Nas provas de rédeas, os cavaleiros necessitam de realizar alguns exercícios que valorizem a concentração e a harmonia de um conjunto. Os conjuntos deverão realizar círculos pequenos, círculos longos e rápidos, voltas de 360 graus, entre outros movimentos. Neste tipo de competição, cada conjunto começa com 70 pontos e, ao longo da apresentação, vai perdendo ou somando mais pontos.

O pólo

O pólo é um desporto de equitação que é praticado por duas equipas de quatro cavaleiros. O objetivo principal do jogo passa por marcar o maior número de golos possível numa baliza com 7,30 metros de largura. O campo mede aproximadamente 275 metros de comprimento e 140 metros de largura, mais a área de segurança. As partidas são supervisionadas por dois juízes a cavalo e um terceiro que permanece fora do campo, que pode ser consultado em caso de uma eventual divergência. Cada jogo tem a duração máxima de 8 períodos (chukkas) de 7 minutos cada, com pausa de 3 minutos entre eles. É de destacar que os cavalos devem ser trocados a cada período e só podem participar em dois períodos por partida.

A sua votação: